Departamento de Justiça dos EUA se diz pronto a investigar morte de negro por polícia em Minnesota

WASHINGTON, (Reuters) - O Departamento de Justiça dos Estados Unidos afirmou nesta quinta-feira que está preparado para investigar a morte a tiros de um homem negro por um policial em Minnesota.

O governador de Minnesota, Mark Dayton, pediu ao Departamento de Justiça que iniciasse uma investigação sobre a morte de Philando Castile durante uma abordagem policial no trânsito na quarta-feira.

"O Departamento está preparado, como necessário, para conduzir mais investigações e considera esse assunto sob lei federal vigente”, declarou o Departamento de Justiça em comunicado.

Numa blitz no trânsito perto de Minneapolis na quarta-feira, Castile se tornou o 123° norte-americano negro morto a tiros pela polícia em 2016, segundo um banco de dados do Washington Post que contabiliza essas mortes.

Castile disse à polícia que ele estava armado, afirmou a sua namorada Diamond “Lavish” Reynolds a jornalistas nesta quinta.

Ela estava com Castile quando ele foi baleado e fez um vídeo com os desdobramentos imediatos da ação. O vídeo foi publicado no Facebook e alcançou grande circulação nas redes sociais.

A mãe da vítima, Valerie Castile, afirmou à CNN que o filho tinha uma autorização para portar uma arma escondida, assim como a irmã dele.

Cerca de 1 em cada 17 habitantes de Minnesota aptos tem uma autorização para portar uma arma escondida, uma média um pouco maior do que a nacional, de acordo com defensores do direito a armas.

(Reportagem de Eric Beech)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos