Ataques na Arábia Saudita têm a marca do Estado Islâmico, diz diretor da CIA

WASHINGTON (Reuters) - John Brennan, diretor da CIA, disse nesta quarta-feira que ataques recentes na Arábia Saudita trazem as marcas do Estado Islâmico e que o grupo militante é uma ameaça muito séria para o reino.

Homens-bomba atacaram três cidades na Arábia Saudita neste mês, matando pelo menos quatro agentes de segurança, numa aparente campanha coordenada de ações no penúltimo dia do mês sagrado muçulmano do Ramadã.

"Esses ataques trazem as marcas do Estado Islâmico”, afirmou Brennan durante um evento organizado pelo Instituto Brookings.

As explosões atingiram Jeddah, Qatif e uma instalação do serviço de segurança na cidade sagrada de Medina, um ataque que Brennan classificou de “sem precedentes”.

Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelos ataques, mas o governo saudita acredita que as ações foram de autoria do Estado Islâmico, após prender 19 suspeitos associados aos cinco agressores.

Brennan disse que embora a al Qaeda ainda represente uma ameaça para a Arábia Saudita, que iniciou uma repressão dura contra o grupo no início dos anos 2000, o Estado Islâmico é um perigo maior para o reino.

(Reportagem de Jonathan Landay)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos