Maia vê eleição para presidente da Câmara atípica e promete respeito a minoria se eleito

BRASÍLIA (Reuters) - O candidato à presidência da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira da tribuna do plenário que os deputados enfrentam grave crise política e classificou a disputa pelo comando da Casa de antinatural.

Afirmou, no entanto, em seu último discurso antes da eleição que deve ser iniciada nesta quarta-feira, que sempre lutou pelas regras democráticas e pelo respeito a minoria, propondo ainda um "resgate dos bons modos" ao se fazer política.

"Uma Câmara fraca é a fraqueza de todos nós", disse o deputado, tido como uma das candidaturas mais competitivas da disputa, assim como Marcelo Castro (PMDB-PI), e Rogério Rosso (PSD-DF).

"Estarmos aqui hoje é antinatural... Trata-se de uma eleição atípica, especial. Vivemos uma profunda crise política que atingiu a Câmara dos Deputados. Peço o voto de vocês porque sei que estou pronto", afirmou.

O plenário da Câmara deve iniciar ainda nesta quarta a votação para a escolha no sucessor de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na presidência da Casa.

Cunha, alvo de processo de cassação por quebra de decoro parlamentar e réu em duas ações penais que correm no Supremo Tribunal Federal (STF), renunciou ao posto na semana passada, dando a largada para a disputa, que conta com 14 candidatos, muitos deles da base do governo do presidente interino Michel Temer.

Diante do grande número de candidaturas, é quase certo que a eleição só seja definida em um segundo turno de votações.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos