Morre Héctor Babenco, 1º cineasta latino-americano indicado ao Oscar de melhor diretor

SÃO PAULO (Reuters) - O cineasta Héctor Babenco, primeiro latino-americano a ser indicado ao Oscar de melhor diretor, morreu em São Paulo aos 70 anos, após sofrer uma parada cardíaca, informou nesta quinta-feira o Hospital Sírio-Libanês.

Babenco nasceu em 1946 na cidade argentina de Mar del Plata, mas realizou grande parte de sua filmografia no Brasil, onde obteve a nacionalidade.

O diretor argentino-brasileiro participou de marcos no cinema latino-americano, com filmes como "Pixote", de 1981, e "Carandiru", de 2003, nos quais realizou fortes denúncias ao retratar a criminalidade no Brasil de um ponto de vista de uma criança e em uma prisão, respectivamente.

Por sua vez, com o filme "O Beijo da Mulher Aranha", uma adaptação da novela homônima do argentino Manuel Puig, Babenco tornou-se o primeiro cineasta da América Latina a ser indicado a melhor diretor na premiação do Oscar, em 1986.

"Lamento a morte do extraordinário cineasta Héctor Babenco, que trouxe seu imenso talento para abrilhantar o cinema e a cultura do Brasil", disse o presidente interino Michel Temer no Twitter.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos