Peter Estehazy, escritor e cronista pós-moderno da Hungria, morre aos 66 anos

BUDAPESTE (Reuters) - O escritor húngaro Peter Esterhazy, cujos romances pós-modernos narram a vida sob o comunismo e o período posterior ao regime, morreu nesta quinta-feira aos 66 anos, semanas depois de publicar um livro sobre o seu câncer pancreático.

Um dos mais conhecidos autores contemporâneos da Europa central, Esterhazy veio do que foi um dia uma das famílias mais ricas do continente, cuja riqueza através dos séculos excedeu às vezes a dos governantes austro-húngaros.

O compositor Joseph Haydn foi condutor para uma orquestra dos Esterhazy no século 18, e o avô de Peter foi primeiro-ministro da Hungria em 1917, mas a família perdeu as suas propriedades e status sob o regime comunista.

Peter, um matemático, começou a escrever nos anos 1970, e os seus trabalhos seriam traduzidos para 24 idiomas, ganhando prêmios na Hungria e em outros países, como França, Alemanha e Áustria.

(Reportagem de Sandor Peto e Marton Dunai)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos