Colômbia busca abertura permanente de fronteiras com Venezuela e não permitirá novas travessias temporárias

Por Luis Jaime Acosta

BOGOTÁ (Reuters) - A Colômbia quer uma abertura permanente de suas fronteiras com a Venezuela e não irá permitir futuras travessias temporárias, disse a ministra das Relações Exteriores, após dezenas de milhares de venezuelanos entrarem no país durante o fim de semana para tentar comprar itens que estão em falta na Venezuela.

Enfrentando uma crise econômica sem precedentes, o governo socialista do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, permitiu que cidadãos cruzassem para a Colômbia nos dois últimos fins de semana, após fechar a fronteira no ano passado em repressão ao tráfico.

A próxima abertura de fronteira deve ser permanente, disse a ministra das Relações Exteriores da Colômbia, Maria Angela Holgin, na segunda-feira.

"Tomamos a decisão de que não haverá outra sessão como estas dos últimos dois fins de semana", disse a jornalistas. "Iremos trabalhar para que a abertura, a próxima abertura, seja definitiva."

Com muitos venezuelanos viajando de longe para alcançar as fronteiras, cerca de 167 mil pessoas usaram a oportunidade para comprar itens básicos, como papel higiênico, óleo de cozinha e farinha em cidades fronteiriças como Cucuta.

A Venezuela fechou suas fronteiras com a Colômbia, que alcançam cerca de 2 mil quilômetros, em agosto de 2015.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos