Estrela principal, Trump vai encerrar convenção republicana após noite de discórdias

Por Steve Holland

CLEVELAND (Reuters) - O candidato presidencial republicano Donald Trump tentará restaurar a ordem na Convenção Nacional Republicana nesta quinta-feira com um discurso no horário nobre da televisão depois de seu rival Ted Cruz receber vaias por se recusar a apoiá-lo.

O pronunciamento de Trump irá encerrar um conclave de quatro dias na cidade de Cleveland que expôs as divisões persistentes entre os republicanos a respeito de seu indicado em um momento no qual o partido precisa se unir para a batalha iminente contra a provável candidata presidencial democrata Hillary Clinton na eleição de 8 de novembro.

Estas divisões foram explicitadas quando o senador do Texas, último grande adversário de Trump na briga pela nomeação, exortou os republicanos a "votarem com sua consciência", chamando atenção por não endossar o bilionário.

Os apoiadores de Trump presentes no local irromperam em vaias, e a esposa de Cruz, Heidi, foi escoltada por seguranças para fora da arena em meio aos gritos.

"Acho que foi um desempenho terrível", disse o governador de Nova Jersey, Chris Christie, conselheiro próximo de Trump que também disputou com ele a nomeação republicana, ao canal MSNBC.

O discurso de Cruz foi mais um tropeço em uma convenção marcada por vários passos em falso, como o discurso da esposa de Trump, Melania, que incluiu trechos semelhantes aos do discurso de Michelle Obama, esposa do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, na Convenção Nacional Democrata de 2008.

Os republicanos usaram a convenção para congregar os fiéis do partido, mas as fissuras estão sobrevivendo à disputa acirrada das eleições primárias, na qual Trump derrotou 16 concorrentes.

Como último orador da maratona de quatro dias de eventos em Cleveland, Trump terá a melhor chance de tentar pôr fim às desavenças entre as várias facções do Partido Republicano e fomentar um espírito de união.

O empresário nova-iorquino de 70 anos irá usar seu discurso para aceitar formalmente a indicação presidencial da legenda.

Na noite de quarta-feira, ele emergiu no salão da convenção enquanto Cruz ainda falava, um gesto que pareceu ter a intenção de roubar parte da atenção do senador.

Depois o magnata apareceu no palco ao lado de seu vice de chapa, o governador de Indiana, Mike Pence, para cumprimentá-lo após um discurso entusiasmado no qual Pence homenageou o indicado republicano.

"O discurso de aceitação de Trump será um acontecimento mundial e irá determinar os termos do debate da corrida contra Hillary", disse o estrategista republicano Scott Reed. "Nada une mais os republicanos do que uma corrida contra os Clinton e um terceiro mandato de Obama". Os republicanos têm classificado uma vitória da ex-primeira-dama como uma terceira presidência de Obama na prática.

"Esta é sua chance (de Trump) de dizer em suas próprias palavras por que quer ser presidente, por que acredita ter qualificação para ser presidente e o que planeja fazer se for eleito", opinou Lanhee Chen, estudioso da Instituição Hoover e ex-assessor de Mitt Romney, candidato presidencial republicano em 2012.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos