Ex-líder do grupo Ku Klux Klan concorre ao Senado dos EUA por Louisiana

Por Bryn Stole

BATON ROUGE, EUA (Reuters) - David Duke, ex-líder do grupo supremacista branco Ku Klux Klan, lançou nesta sexta-feira a sua candidatura ao Senado dos Estados Unidos por Louisiana, dizendo que as pessoas brancas estão ameaçadas nos EUA e que ele escuta ecos das suas opiniões no discurso de Donald Trump.

Duke, um republicano, é ex-parlamentar do Estado da Louisiana, candidato fracassado a governador e cumpriu pena de 15 meses de prisão depois de se declarar culpado em 2002 de acusações de evasão fiscal e fraude postal.

Trump, o candidato republicano a presidente, atraiu críticas em fevereiro ao não recusar rapidamente o apoio de Duke.

Numa entrevista à imprensa em Baton Rouge, depois de oficialmente se registrar como um candidato para suceder David Vitter, senador republicano de saída, Duke, de 66 anos, declarou que assistiu ao discurso em que Trump aceitou a nomeação presidencial do partido na quinta-feira em Cleveland e ouviu ecos dos seus próprios programas políticos do passado.

"Eu não ligo para o que Donald Trump diz sobre mim. Eu respeito o que ele está fazendo”, afirmou Duke.

Num vídeo online em que anuncia a candidatura, Duke diz: “Eu estou muito satisfeito de ver Donald Trump e muitos norte-americanos abraçando muitos dos temas que eu defendo há anos.”

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos