Tiroteio em shopping center de Munique deixa vários mortos, diz polícia

Por Joern Poltz

MUNIQUE (Reuters) - Atiradores abriram fogo em um shopping center de Munique, cidade do sul da Alemanha, nesta sexta-feira, matando e ferindo muitas pessoas, disse a polícia.

Foi o terceiro grande ato de violência contra alvos civis na Europa Ocidental em oito dias. Ataques anteriores na França e na Alemanha foram reivindicados pelo grupo militante Estado Islâmico.

A polícia de Munique disse suspeitar de que se trata de um ataque terrorista.

As autoridades ainda estavam retirando as pessoas do shopping Olympia, mas muitas outras estão escondidas em seu interior.

O Ministério do Interior da Baviera disse que três pessoas foram mortas, segundo noticiou a rede de televisão NTV, mas o ministério disse depois não confirmar a informação.

A porta-voz da polícia de Munique disse que várias pessoas foram mortas ou feridas. "Acreditamos estar lidando com um tiroteio aleatório", disse a porta-voz.

A porta-voz da polícia afirmou ainda que testemunhas viram três atiradores com rifles, e ninguém foi preso, acrescentou.

"Acreditamos que havia mais de um perpetrador. Os primeiros relatos surgiram às 18h (locais), aparentemente o tiroteio começou no McDonald's do shopping center. Ainda há pessoas no shopping center. Estamos tentando tirá-las e cuidar delas".

Também houve relatos de tiros em duas ruas perto do shopping. A polícia disse às pessoas para ficarem em suas casas ou se abrigarem em edifícios.

Não ficou claro de imediato quem realizou o ataque, que ocorreu uma semana depois de um adolescente de 17 anos que pediu asilo na Alemanha agredir passageiros de um trem munido de um machado. A polícia da Baviera o matou a tiros depois de ele ferir quatro pessoas de Hong Kong e um morador local no trem enquanto fugia.

O Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque.

Funcionários do shopping ainda estão escondidos, disse um deles à Reuters por telefone.

"Muitos tiros foram disparados, não sei dizer quantos, mas foram muitos", disse o empregado, que não quis se identificar, de dentro do shopping em Munique.

"Todas as pessoas de foram entraram correndo na loja, e só vi uma pessoa no chão, que estava ferida tão seriamente que com certeza não sobreviveu."

"Não temos mais informações, estamos parados no fundo da loja, nos depósitos. Nenhum policial nos procurou ainda".

As autoridades de transporte de Munique disseram ter interrompido a circulação de várias linhas de ônibus e trens.

O shopping center fica perto do Estádio Olímpico de Munique, onde o grupo militante palestino Setembro Negro fez 11 atletas israelenses de reféns durante os Jogos de 1972 e mais tarde os matou.

O ministro da Justiça alemão, Heiko Maas, disse na edição desta sexta-feira do jornal Bild, antes do ataque ao shopping, que "não há motivo para pânico, mas está claro que a Alemanha continua sendo um alvo possível".

Não há notícia de imediato, porém, de que o ataque tenha tido motivação política.   

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos