Presidente do Partido Democrata dos EUA é vaiada antes de convenção

Por John Whitesides

FILADÉLFIA (Reuters) - O caos emergiu antes da convenção do Partido Democrata dos Estados Unidos nesta segunda-feira, com manifestantes vaiando a presidente do partido por causa de e-mails vazados que mostram membros do partido trabalharam para prejudicar Bernie Sanders em sua campanha nas primárias contra Hillary Clinton.

Horas antes do início da convenção de quatro dias para nomear Hillary à Casa Branca, a presidente do Comitê Nacional Democrata, Debbie Wasserman Schultz, lutou para ser ouvida em meio a vais quanto se dirigia à delegação democrata de seu Estado natal, Flórida.

Manifestantes seguravam sinais escritos "Bernie" e "E-MAILS" e gritavam "vergonha" enquanto ela falava. Outras pessoas no encontro aplaudiram Debbie, que está deixando o cargo pela controvérsia dos e-mails. Ela prometeu trabalhar duro para uma vitória de Hillary sobre o republicano Donald Trump na eleição de 8 de novembro.

A manifestação foi um prelúdio embaraçoso para a convenção na Filadélfia, na qual autoridades democratas esperavam que não houvesse qualquer drama, em contraste com a agitada campanha de Trump. O empresário de Nova York foi formalmente nomeado candidato em Cleveland na semana passada.

As trocas de e-mails vazados na sexta-feira pelo site WikiLeaks mostram que autoridades democratas exploraram maneiras de prejudicar a campanha presidencial de Sanders, incluindo ações como levantar questões sobre a fé do político, que é judeu.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos