Rússia nega ter atuado em vazamento de e-mails de políticos democratas dos EUA

Dmitry Solovyov

Em Moscou

Acusações de que a Rússia estaria por trás da invasão de e-mails do Partido Democrata dos Estados Unidos são absurdas e estão sendo usadas de forma cínica como ferramenta na corrida eleitoral dos EUA, informou o Kremlin nesta terça-feira.

"Estamos vendo novamente estas tentativas maníacas de explorar o tema russo na campanha eleitoral dos EUA", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, durante teleconferência com repórteres.

"Isto não é novidade, é um velho truque que está sendo usado novamente. Isto não é bom para nossas relações bilaterais, mas entendemos que simplesmente temos que superar este período desagradável", acrescentou.

Especialistas de cibersegurança e autoridades norte-americanas disseram na segunda-feira que há evidências de que a Rússia arquitetou o vazamento de e-mails do Partido Democrata para influenciar na eleição norte-americana.

O vazamento de mais de 19 mil e-mails do Comitê Nacional Democrata na sexta-feira realizado pelo site WikiLeaks revelou que a liderança do partido supostamente trabalhou para sabotar a campanha de Bernie Sanders pela nomeação presidencial da legenda contra Hillary Clinton.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos