Kremlin diz que EUA desviam foco de intrigas eleitorais demonizando a Rússia

MOSCOU (Reuters) - O Kremlin disse nesta segunda-feira que as alegações norte-americanas de que Moscou está por trás do vazamento de e-mails do Partido Democrata são parte de um acobertamento cujo objetivo é esconder o fato de que a campanha presidencial dos Estados Unidos foi manipulada por forças internas.

No domingo, a candidata presidencial democrata Hillary Clinton disse que os serviços de inteligência russos invadiram os computadores do Comitê Nacional Democrata, e questionou seu rival republicano Donald Trump a respeito de suas tentativas de aproximação do presidente da Rússia, Vladimir Putin.

"Tais pronunciamentos da senhora Clinton são do gênero retórica pré-eleitoral e não contêm nada tangível", disse o porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov aos repórteres durante uma teleconferência.

"Neste caso, eles (norte-americanos) estão tentando camuflar parte de suas próprias tramoias (pré-eleitorais) demonizando a Rússia. Consideramos isso errado".

Peskov disse que os comentários de Hillary eram absurdos e emotivos e que careciam de fatos, afirmando ser equivocado acusar Moscou de agir mal sem primeiro investigar as acusações.

"Organizações oficiais russas... não realizam ciberterrorismo", disse, acrescentando que o Kremlin quer ver a normalização das relações entre EUA e Rússia.

(Por Andrew Osborn/Dmitry Solovyov)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos