Técnico Vadão rejeita comparações entre Marta e Neymar

Por Tatiana Ramil

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Durante a partida de estreia da seleção feminina de futebol na Olimpíada do Rio, alguns torcedores provocaram o time masculino com um grito "Marta é melhor do que Neymar", mas o técnico Vadão não quer saber de comparações entre sua camisa 10 e o jogador do Barcelona.

Vadão revelou que o atacante Neymar mandou uma mensagem de apoio às jogadoras da seleção brasileira antes do confronto contra a China, nesta quarta-feira, o primeiro jogo de uma equipe brasileira nos Jogos Rio 2016.

“Neymar mandou mensagem para as meninas, não temos essas rivalidades, muito pelo contrário, as meninas estão sempre torcendo para os meninos e vice-versa”, disse Vadão a jornalistas após a vitória por 3 x 0 do Brasil no Estádio Olímpico, mais conhecido como Engenhão.

“Marta é Marta e Neymar é Neymar”, acrescentou.

O futebol do Brasil, tanto o feminino quanto o masculino, busca nos Jogos do Rio sua primeira medalha de ouro olímpica.

A meia-atacante Marta, eleita por cinco vezes a melhor jogadora do mundo, foi muito marcada na partida contra as chinesas e, depois de um primeiro tempo apagada, conseguiu boas jogadas na segunda etapa, incluindo o passe para o segundo gol.

Substituída a 10 minutos do final por precaução devido a uma pancada no tornozelo, Marta é a maior esperança do Brasil para a sequência dos Jogos Olímpicos.

“Marta está bem, foi uma precaução... mesmo com dor ela queria ficar (em campo) e é por isso que ela é a Marta”, afirmou Vadão.

Ainda colocando gelo no pé, Marta disse que a lesão foi "só uma pancada" e que sua intenção era ter jogado a partida completa. "É lógico que você quer jogar os 90 minutos. Justamente naquele momento a gente estava sentindo que a China já estava um pouco desgastada, então você fica na ansiedade de pegar uma bola parada e puxar um contra-ataque rápido".

Aplaudida de pé pela torcida ao ser substituída, Marta elogiou a equipe, que mostrou controle do jogo.

    "Três pontos, três gols, nenhum gol sofrido. A gente conseguiu a maioria do tempo estar com a bola, estar no controle do jogo, ter paciência para saber a hora exata de fazer o gol", disse a repórteres após a partida.

    "Achei que quando fui exigida, tentei colaborar da melhor maneira possível", acrescentou.

A próxima adversária do Brasil na Olimpíada, também no estádio Engenhão, é a Suécia, que estreou com vitória por 1 x 0 sobre a África do Sul e tem tradição no futebol feminino.

"Não vejo ponto fraco na equipe da Suécia, tem uma história no futebol feminino, tanto que a Marta joga lá há muito tempo. Tem muitas virtudes, elas têm boa jogada aérea e são uma equipe muito madura, mantém a equipe sempre equilibrada", disse o treinador.

Para a zagueira Mônica, que marcou o primeiro gol contra a China, Marta pode ajudar com informações sobre as suecas.

"Ela está há muito tempo na Suécia, conhece e pode ser um ponto positivo para nós na partida", declarou.

(Reportagem adicional de Caio Saad)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos