Braskem diz que discussão com autoridades dos EUA poderá confirmar fatos ilícitos

SÃO PAULO (Reuters) - A petroquímica Braskem disse que iniciará diálogos com o Departamento da Justiça e a Securities Exchange Comission (SEC) dos Estados Unidos e que tais conversas poderão confirmar acusações de fatos ilícitos levantados no âmbito da operação Lava Jato.

Segundo manifestação da empresa no resultado de segundo trimestre divulgado nesta quinta-feira, as conversas com as autoridades norte-americanas vão ocorrer para esclarecer alegações adicionais de fatos ilícitos surgidos em investigações envolvendo terceiros.

As informações sobre as novas alegações foram recebidas pela Braskem em reuniões nas últimas semanas com autoridades dos EUA, disse o presidente da petroquímica, Fernando Musa, à jornalistas nesta quinta-feira.

"São novas informações a que a companhia ainda não tem acesso, porque escritórios especializados (ainda) estão verificando do que se trata", disse.

As alegações se somam às que surgiram em março do ano passado no âmbito da Lava Jato. Na época, a companhia foi mencionada em alegações de supostos pagamentos indevidos em contratos de matéria-prima com a Petrobras .

"Não existe hoje nenhuma capacidade da companhia de mensurar a extensão de impacto que uma eventual confirmação das alegações, sejam as de março do ano passado, sejam as novas, teria. Nenhuma é confirmada ainda pelos investigadores", afirmou Musa.

A Braskem disse que "o fluxo futuro de informações entre a companhia, o Departamento da Justiça e a SEC... poderão resultar na confirmação das alegações dos fatos ilícitos".

A empresa afirma que não é possível estimar o impacto da eventual confirmação das alegações ou os recursos necessários para remediar suas repercussões.

A petroquímica é alvo de ação coletiva nos EUA que alega que a Braskem fez declarações falsas ou deixou de divulgar a existência de pagamentos ilícitos. A Braskem apresentou defesa preliminar em 6 de julho e afirmou nesta quinta-feira que não é possível prever o resultado do processo.

"É possível que a companhia seja citada como ré em outras ações judiciais. Além disso, a companhia pode ser demandada, respeitados os limites legais e regulamentares, a indenizar conselheiros, diretores e empregados que sejam réus em ações como estas", afirmou a Braskem.

A empresa disse ainda que poderá ter que arcar com obrigações com "efeito material adverso sobre seus negócios, reputação, condição financeira e resultados de suas operações".

A Braskem teve lucro líquido consolidado de 281 milhões de reais no segundo trimestre, queda de 73 por cento sobre o resultado obtido um ano antes.

Quanto ao cenário de mercado, Musa apontou que a Braskem passou a trabalhar com perspectiva ligeiramente melhor para a demanda doméstica de resinas em 2016. A expectativa de queda de 7 por cento do mercado deu lugar à previsão de queda entre 5,5 a 6 por cento.

Às 12:38, as ações da petroquímica subiam mais de 5 por cento, enquanto o Ibovespa subia 1,16 por cento.

(Reportagem de Priscila Jordão)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos