President do COI espera que caos na preparação dos Jogos seja evento isolado

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As problemáticas preparações para a Olimpíada do Rio provaram que o modelo dos Jogos pode suportar os mais difíceis desafios, mas o Comitê Olímpico Internacional (COI) espera que não tenha que enfrentar um teste tão estressante novamente, disse o presidente do Comitê, Thomas Bach, nesta quinta-feira.

Falando na véspera da cerimônia de abertura, Bach disse que os organizadores e o CoI têm enfrentado e sobrevivido à recessão econômica e crise política no Brasil.

"Se esse modelo financeiro dos Jogos Olímpicos supera um teste de estresse como este no Brasil, então você pode ver que este modelo é mais do que robusto", disse Bach a repórteres.

"Estes tempos não foram sempre fáceis, nem mesmo agora. Portanto, eu acho que podemos dizer muito claramente que o modelo financeiro dos Jogos realmente aguentou um teste estressante, o qual eu espero que nós não tenhamos que suportar novamente no futuro."

Quando o Rio foi indicado para os Jogos em 2009, o país estava aproveitando um boom financeiro com crescimento anual de quase dois dígitos. Apenas alguns anos depois, os organizadores ficaram sem dinheiro e o Estado do Rio de Janeiro sofreu uma catástrofe financeira, com o país enfrentando a pior recessão desde os anos 1930.

O COI, então, teve que pagar adiantada parte de sua contribuição financeira aos organizadores, para que pudessem completar os preparativos, que estavam perigosamente atrasados.

(Por Karolos Grohmann)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos