Ex-oficial da CIA diz que presidente russo fez de Trump seu agente involuntário

(Reuters) - O ex-vice-diretor da CIA Michael Morell atacou o candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, classificando-o nesta sexta-feira como um perigo para a segurança nacional dos EUA e afirmando que o presidente russo, Vladimir Putin, transformou o candidato republicano em um "agente involuntário" da Rússia.

Morell, uma autoridade de longa data na CIA, disse em artigo publicado no jornal New York Times que Putin deixou Trump lisonjeado e levou-o a apoiar posições favoráveis à Rússia.

"No ramo de inteligência, devemos dizer que o senhor Putin recrutou o senhor Trump como um agente involuntário", escreveu Morell no artigo em que declara apoio à rival de Trump na eleição presidencial de 8 de novembro, a democrata Hillary Clinton.

Morell não apresentou provas de sua afirmação, mas disse que Putin utilizou as habilidades adquiridas quando era oficial de inteligência para identificar e explorar as vulnerabilidades de um indivíduo.

"Isso é exatamente o que ele fez no começo das primárias. O senhor Putin jogou com as vulnerabilidades do senhor Trump ao elogiá-lo. Ele respondeu exatamente da forma que o senhor Putin havia calculado", escreveu.

A campanha de Trump minimizou as críticas de Morell.

(Reportagem de Emily Stephenson, Mark Hosenball e Susan Heavey)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos