Japão protesta após navios chineses navegarem próximos a disputadas ilhas

TÓQUIO (Reuters) - O Japão lançou um novo protesto contra Pequim neste sábado, após navios de guarda costeira da China e cerca de 230 navios de pesca navegarem perto de ilhas no que é considerado por Tóquio como suas águas territoriais no Mar do Leste da China, disse o Ministério das Relações Exteriores do Japão.

O último incidente acontece em meio ao aumento das tensões, menos de um mês depois de um tribunal de arbitragem em Haia decidir que a China não tem direito histórico sobre as águas do Mar do Sul da China, e que o país violou os direitos soberanos das Filipinas com ações no local.

Três dos seis navios da guarda costeira chineses que estavam nas chamadas águas contíguas neste sábado pareciam estar armados, disse a guarda costeira do Japão.

Um importante funcionário do Ministério das Relações Exteriores japonês emitiu neste sábado um protesto a um funcionário da embaixada chinesa em Tóquio, pedindo que os navios de guarda costeira deixem a área imediatamente e condenando a ação como uma escalada unilateral das tensões, disse o ministério.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China Hua Chunying disse, em um comunicado publicado no site do ministério, que a China tinha soberania indiscutível sobre as ilhas e águas próximas.

"Ao mesmo tempo, a China está adotando medidas para gerir adequadamente a situação em águas relevantes", disse Hua.

(Por Kiyoshi Takenaka e Osamu Tsukimori; Reportagem adicional de Michael Martina em Pequim)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos