Homem-bomba mata ao menos 70 pessoas em hospital do Paquistão

QUETTA, Paquistão (Reuters) - Um homem-bomba matou ao menos 70 pessoas e feriu dezenas de outras no Paquistão nesta segunda-feira em um ataque contra pessoas enlutadas que se encontravam em um hospital de Quetta, de acordo com autoridades da capital do Baluquistão, província do sudoeste paquistanês assolada pela violência.

O suicida se explodiu no momento em que mais de 100 pessoas, a maioria advogados e jornalistas, se reuniam no departamento de emergência do hospital para acompanhar o corpo de um advogado proeminente que havia sido morto a tiros na cidade mais cedo nesta segunda-feira, disse à Reuters Faridullah, um jornalista que estava entre os feridos.

Abdul Rehman Miankhel, autoridade sênior do Hospital Civil, administrado pelo governo, onde ocorreu a explosão, disse a repórteres que ao menos 63 pessoas foram mortas e mais de 50 ficaram feridas, conforme aumentava o número de mortes em relação a relatos iniciais.

"Há muitos feridos, então o saldo de mortes pode aumentar", disse Rehmat Saleh Baloch, o ministro da Saúde provincial.

O grupo Jamaat-ur-Ahrar, uma facção do Taliban paquistanês, reivindicou responsabilidade pelo ataque em um email. Não está claro se o grupo realizou o ataque, já que acredita-se que ele no passado tenha reivindicado responsabilidade por ataques nos quais não estava envolvido.

Imagens de televisão mostraram cenas de caos, com pessoas em pânico fugindo em meio aos destroços à medida que a fumaça tomava conta dos corredores do hospital.

(Por Gul Yousafzai)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos