Rússia diz que banimento das Paralimpíadas é grave abuso de direitos humanos

MOSCOU (Reuters) - O presidente do Comitê Paralímpico Russo disse nesta segunda-feira que uma decisão de banir atletas russos da Paralimpíada do Rio, no mês que vem, por acusações de doping é um grave abuso de direitos humanos.

Vladimir Lukin disse durante entrevista coletiva em Moscou que a maior parte dos atletas paralímpicos russos não é culpada de doping e que está pronto para provar que sua equipe cumpriu todas as obrigações antidoping.

"A grande maioria dos esportistas que foram banidos de participar nos Jogos é de absolutamente esportistas limpos", disse Lukin, acrescentando que está pronto para providenciar evidências de que a equipe russa realizava um forte programa antidoping.

O presidente do Comitê Paralímpico Internacional, Philip Craven, disse na sexta-feira que atletas paralímpicos russos são parte de um sistema falido supervisionado pelo governo russo e suspendeu o Comitê Paralímpico Russo antes dos Jogos Paralímpicos do Rio, que têm início em 7 de setembro.

(Reportagem de Maria Tsvetkova e Andrew Osborn)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos