PF prende empresário em desdobramento da Lava Jato

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Polícia Federal do Rio de Janeiro realizou nesta quarta-feira uma prisão em desdobramento da operação Pripyat, da Lava Jato, que tinha como objetivo desarticular uma organização responsável pelo desvio de recursos de obras da usina nuclear Angra 3 por meio de fraudes em contratos da Eletronuclear.

"As investigações tiveram como foco pessoas pertencentes ao núcleo financeiro, incluindo o irmão de importante operador financeiro preso nas Operações Pripyat e Saqueador", informou a PF em comunicado sobre a operação Irmandade.

Segundo a mídia, o empresário preso é Samir Assad, irmão de Adir Assad, em prisão preventiva por suposto desvio de recursos em obras da construtora Delta.

As investigações envolvendo a Eletronuclear começaram no Paraná como parte dos inquéritos sobre o esquema de corrupção na Petrobras investigado pela operação Lava Jato, mas foram transferidas para o Rio de Janeiro por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com as investigações do Ministério Público Federal e da Polícia Federal, foi formado um cartel nas licitações de serviços de montagem da usina com envolvimento das empreiteiras Andrade Gutierrez e Engevix, que teriam feito pagamento de propinas ao executivos da estatal.

(Por Caio Saad)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos