Corte venezuelana nega recurso do líder da oposição Lopez

CARACAS (Reuters) - Um recurso do líder da oposição Leopoldo Lopez contra uma sentença de 14 anos de prisão por seu papel nos protestos anti-governo dois anos atrás foi rejeitado por um tribunal venezuelano, disse na sexta-feira um advogado que o representa.

Lopez se tornou célebre entre os opositores do governo do presidente Nicholás Maduro, que o acusam de violar direitos humanos. O governo dos EUA, as Nações Unidas e grupos de direitos internacionais pediram a libertação de Lopez.

A condenação em 2015 estragou uma breve reaproximação entre Caracas e Washington, meses após os dois lados terem começado discussões para acabar com mais de uma década de discórdia.

Lopez estava na vanguarda das manifestações exigindo a renúncia de Maduro. Quarenta e três pessoas morreram durante os protestos.

Lopez pediu publicamente uma resistência pacífica contra o governo Maduro e ficou preso durante maior parte da agitação.

Os críticos dizem que seu julgamento foi uma farsa e Lopez, que Maduro diz ser um criminoso perigoso, foi preso para sufocar a dissidência. Um promotor fugiu do país dizendo que foi pressionado a incrimar Lopez. A acusação afirmou que Lopez enviou mensagens subliminares para incitar a violência.

(Reportagem de Brian Ellsworth)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos