Merkel pedirá a grandes empresas alemãs para contratar refugiados, diz jornal

Holger Hansen

Em Berlim

  • Angelika Warmuth/DPA/AFP

    Refugiados caminham por plataforma de estação em Passau, ao sul da Alemanha

    Refugiados caminham por plataforma de estação em Passau, ao sul da Alemanha

A chanceler Angela Merkel pediu a algumas das maiores empresas da Alemanha a participar de uma cúpula no próximo mês quando lhes pedirá que contratem mais refugiados, publicou o jornal 'Bild' neste sábado (13).

Mais de um milhão de migrantes entraram na Alemanha no ano passado e o governo quer o maior número possível deles no mercado de trabalho, o que reduziria a dependência de auxílio do governo, com o envelhecimento da força de trabalho.

Merkel pedirá às empresas para oferecer mais estágios e empregos para os refugiados. As grandes empresas têm sido criticadas por fazer pouco para ajudar a integrar os refugiados no mercado de trabalho.

As empresas dizem que a maioria dos recém-chegados não conhece a língua alemã e não têm educação necessária para trabalhar.

A gigante de engenharia Siemens, o grupo químico Evonik, as montadoras Opel e Volkswagen a RWE vão compartilhar com Merkel os resultados de projetos-piloto com refugiados, segundo o 'Bild'.

O escritório de Merkel não quis confirmar a reportagem, que disse que a reunião acontecerá no dia 14 de setembro.

Papa recebe refugiados sírios para almoço no Vaticano

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos