Dilma decide que vai ao Senado no julgamento do impeachment

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente afastada Dilma Rousseff decidiu que comparecerá ao Senado durante o julgamento do impeachment para prestar esclarecimentos ao senadores, afirmou sua assessoria de imprensa quarta-feira.

"Ela vai ao Senado, vai depor. Ela acha que é importante para o processo, para se explicar e falar com os senadores", disse um assessor de Dilma.

O julgamento final do impeachment da presidente afastada está marcado para o dia 25 de agosto.

Afastada desde maio, Dilma é acusada de crime de responsabilidade por atrasos de repasses do Tesouro Nacional ao Banco do Brasil no âmbito do Plano Safra e pela edição de decretos com créditos suplementares sem autorização do Congresso.

A defesa da petista tem reiterado que os repasses não constituem operação de crédito, o que seria vedado pela legislação, e que não há ato doloso da presidente que configure um crime de responsabilidade.

Na terça-feira, a petista divulgou uma mensagem aos senadores e à população se dizendo inocente e defendendo um plebiscito sobre a realização antecipada de eleições, caso volte à Presidência.

(Reportagem de Anthony Boadle)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos