Polícia da Turquia detém diversas pessoas em operações pós-golpe, diz agência

ISTAMBUL (Reuters) - A polícia da Turquia realizou operações em mais de 100 locais de Istambul na madrugada desta quinta-feira e prendeu várias pessoas em uma investigação sobre o golpe de Estado fracassado do mês passado, relatou a agência de notícias Dogan.

Policiais da unidade de crimes financeiros estavam conduzindo as ações contra simpatizantes de um movimento religioso liderado por Fethullah Gulen, clérigo muçulmano residente nos Estados Unidos que o governo diz ter sido o mentor da intervenção, noticiou a agência.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, disse que 40.029 pessoas foram detidas desde a tentativa de golpe e que cerca de metade delas foi presa formalmente enquanto aguarda acusações.

Ele também disse que 4.262 empresas e instituições ligadas a Gulen foram fechadas. Em expurgos levados a cabo entre militares, policiais, servidores públicos e membros do Judiciário, 79.900 pessoas foram afastadas de suas funções públicas, afirmou ele em um discurso transmitido ao vivo pela televisão.

Uma facção dos militares tentou tomar o poder em 15 de julho, matando cerca de 240 pessoas, a maioria civis, e ferindo duas mil. Aproximadamente 100 pessoas que apoiavam o golpe também foram mortas, de acordo com estimativas oficiais.

(Por Ayla Jean Yackley)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos