Título olímpico mostra que futebol brasileiro não está morto, diz Micale

Por Tatiana Ramil

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O título conquistado pela seleção olímpica nos Jogos Rio 2016 pode dar mais tranquilidade ao futebol brasileiro e transmite o recado de trabalho em equipe e de que é preciso transpirar mais, disse o técnico Rogério Micale.

A vitória sobre a Alemanha nos pênaltis na decisão deste sábado, no Maracanã, ocorreu após uma série de maus resultados do Brasil, incluindo a derrota humilhante de 7 x 1 para os alemães na Copa do Mundo de 2014.

"Eu acredito que é uma fase que passou e que agora para o futuro tenhamos um pouco mais de tranquilidade. Nosso futebol não está morto", disse Micale em entrevista coletiva.

O técnico da seleção olímpica afirmou que a partida contra a Alemanha não representava uma vingança pela derrota no Mundial, mas uma chance de dar uma resposta à torcida brasileira.

"Nos tínhamos o sentimento de que precisávamos dar uma resposta ao nosso povo, ao meio do futebol, de que poderíamos dar algo diferente, e acho que conseguimos dar uma resposta boa", declarou ele, que espera ter contribuído com o técnico Tite para a seleção principal.

"A gente tem uma geração muito boa. Com amadurecimento tático, acredito que poderemos desenvolver mais os talentos", acrescentou.

Segundo Micale, o principal recado transmitido pela seleção olímpica é o trabalho em equipe e a cumplicidade.

"Nunca prometi medalha, nós queríamos mostrar muito trabalho, com entrega coletiva, com intensidade, de um ajudar o outro", disse. "Mesmo com as dificuldades, com as dúvidas que apareceram (após dois empates por 0 x 0), a gente não desistiu...qualidade nós temos, precisamos transpirar mais."

Micale, que trabalha com equipes de base, só foi confirmado como técnico da seleção olímpica em junho, quando Tite assumiu o time principal no lugar de Dunga, que comandaria a equipe na Rio 2016 caso não tivesse sido demitido.

O treinador admitiu que estava aliviado com a conquista da primeira medalha olímpica do futebol brasileiro.

"É uma mistura de sentimentos, a gente sai de um momento de muita ansiedade, sabíamos que enfentaríamos um adversário difícil, então o sentimento é de alívio, eufórico, realizado, por tudo que foi esse torneio", afirmou.

Como fez durante todo o torneio, Micale voltou a elogiar o atacante Neymar, autor do gol brasileiro no empate de 1 x 1 e da cobrança de pênalti decisiva, que disse que vai entregar a Tite a faixa de capitão.

"É um gesto nobre da parte dele deixar o professor Tite à vontade para escolher. Ele tem demonstrado maturidade. Aqui ele se mostrou um líder e saio com as melhores impressões dele", disse Micale.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos