Turquia pede ajuda à Alemanha para repressão a clérigo

BERLIM (Reuters) - O governo da Turquia mandou a autoridades alemãs pedidos de 40 buscas e três extradições relacionadas a apoiadores de Fethullah Gulen, clérigo muçulmano que mora os Estados Unidos acusado pelos turcos de estar por trás da tentativa de golpe do mês passado, informou a revista Der Spiegel neste sábado.

O presidente da Turquia Tayyip Erdogan acusa uma rede de escolas, instituições de caridade e empresas lideradas por Gulen de se infiltrar em instituições estatais e orquestrar o fracassado golpe.

Autoridades turcas prenderam ou suspenderam milhares de policiais, soldados, funcionários, juízes e servidores públicos por suposta ligação com o movimento de Gulen.

Citando documentos confidenciais, a revista afirmou que o serviço secreto da Turquia pediu ajuda à agência de inteligência internacional (BND) para localizar apoiadores do clérigo na Alemanha.

A Alemanha é lar de uma forte comunidade de 3 milhões de turcos e a preocupação com o transbordamento de tensões entre apoiadores de Erdogan e de Gulen em solo alemão é crescente.

(Reportagem de Caroline Copley e Sabine Siebold em Berlim e Dasha Afanasieva em Ankara)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos