Filipinas e rebeldes comunistas iniciam conversas de paz após trégua

Por Alister Doyle

OSLO (Reuters) - O governo das Filipinas e guerrilheiros de orientação maoísta iniciaram conversas de paz em Oslo nesta segunda-feira, buscando o fim de quase cinco décadas de conflito, que já matou mais de 40 mil pessoas.

Ambos lados anunciaram um cessar-fogo no fim de semana em preparação às conversas em Oslo, o primeiro encontro formal em cinco anos.

Os rebeldes elogiaram o novo presidente Rodrigo Duterte por medidas que incluem a libertação de 17 prisioneiros para participarem do encontro de cinco dias na Noruega e a escolha do que chamaram de progressistas para cargos do gabinete, incluindo reforma agrária.

"Duterte mostrou nobreza e generosidade", disse José Maria Sison, membro exilado do Partido Comunista que vive na Holanda, durante cerimônia de abertura.

As duas delegações trocaram apertos de mãos, fizeram sinais de "V" de vitória e sorriram durante o início das conversas entre o governo e a Frente Nacional Democrática (NDF), braço político do Partido Comunista.

Duterte quer encerrar os combates envolvendo a guerrilha com rebeldes comunistas e muçulmanos, que prejudicam o desenvolvimento econômico. A ala armada do Partido Comunista, com cerca de 3 mil pessoas, opera principalmente no leste e sul do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos