Alemanha irá acolher centenas de imigrantes para fortalecer programa da UE, diz Itália

ROMA (Reuters) - A Alemanha concordou em acolher centenas de imigrantes que estão retidos na Itália, uma medida que pode ressuscitar o fracassado programa de realocação da União Europeia, disse o ministro do Interior da Itália, Angelino Alfano, nesta terça-feira.

Como parte de um acordo para aliviar a pressão sofrida pelos Estados fronteiriços da Europa na crise imigratória, no ano passado a Comissão Europeia concebeu um plano com a meta de transferir milhares de recém-chegados da Itália e da Grécia para outros membros da UE.

Pelo esquema, até 40 mil imigrantes poderiam ser transferidos da Itália ao longo de dois anos, mas até agora só algumas centenas foram levados de avião, e muitos aliados do bloco parecem relutar em dar abrigo a refugiados e postulantes a asilo.

"Até o momento, a realocação está sendo um verdadeiro fracasso", disse Alfano à TV Republica.

"(Mas) hoje soubemos que a partir de setembro centenas de refugiados poderão ir todos os meses para a Alemanha. Se as coisas correrem bem com a Alemanha, achamos que também irão correr bem com outros países", acrescentou.

A Itália recebeu mais de 420 mil imigrantes que chegaram por mar desde o início de 2014, segundo dados oficiais.

(Por Antonella Cinelli)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos