Familiar de militante que atacou Charlie Hebdo é suspeito de ter ligação com terror

PARIS (Reuters) - Um parente de um dos militantes que atacou o jornal satírico Charlie Hebdo em Paris em janeiro de 2015 está sendo formalmente investigado por ligações com organizações terroristas, e continua sob custódia, afirmou uma fonte do sistema judicial neste sábado.

A fonte diz que Mourad Hamyd era suspeito de ter viajado à Síria para se juntar ao Estado Islâmico.

Hamyd, que é francês e cunhado do atirador Cherif Kouachi, foi detido na Bulgária no mês passado depois que um tribunal de Paris emitiu um mandado para sua prisão.

Hamyd foi interrogado pela polícia francesa após os ataques ao Charlie Hebdo, nos quais Cherif Kouachi e seu irmão Said atiraram e mataram 12 pessoas antes de serem mortos pela polícia, mas não foi considerado envolvido na ação.

(Reportagem de Chine Labbe)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos