Perseguição a grupos rebeldes será implacável, diz presidente turco

ANCARA (Reuters) - O presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, disse neste domingo que a caça do governo turco aos grupos rebeldes será implacável, em discurso na cidade de Gaziantep, onde um homem-bomba, supostamente apoiado pelo Estado Islâmico, provocou uma explosão em uma cerimônia de casamento e matou 54 pessoas há uma semana.

"Nossas operações contra as organizações terroristas vão continuar até o fim", ele disse em comício para milhares de apoiadores, mencionando grupos rebeldes como o Estado Islâmico, os insurgentes curdos do PKK e também apoiadores de um clérgico turco residente nos Estados Unidos que é o principal culpado por tramar o mal sucedido golpe de estado do último mês.

Erdogan afirmou que uma ofensiva além-fronteira na Síria está dando a pessoas que fugiam do Estado Islâmico a oportunidade de retornar para suas cidades, como Jarablus. "Pessoas que pertenciam a esses locais estão voltando", disse.

O presidente turco ainda repetiu que irá aprovar a restituição da pena de morte caso o parlamento aprove-a. Trata-se de um assunto que coloca o país em choque com a União Europeia, bloco do qual a Turquia almeja participar há muito tempo.

(Reportagem de Ece Toksabay)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos