Ataque suicida reivindicado pelo Estado Islâmico mata 54 pessoas no Iêmen, diz governo

ÁDEN, Iêmen (Reuters) - Um homem-bomba matou ao menos 54 pessoas ao bater um carro cheio de explosivos em um complexo de uma milícia em Áden nesta segunda-feira, informou o Ministério da Saúde, em um dos piores ataques reivindicados pelo Estado Islâmico na cidade portuária do sul do Iêmen.

O diretor-geral do Ministério da Saúde em Áden, Al-Khader Laswar, disse à Reuters que pelo menos outras 67 pessoas ficaram feridas no ataque realizado no bairro de Mansoura.

O Estado Islâmico disse em comunicado divulgado na agência de notícias do grupo militante, a Amaq, que um de seus homens-bomba realizou o ataque.

"Cerca de 60 mortos em uma operação de martírio de um combatente do Estado Islâmico tendo como alvo um centro de recrutamento na cidade de Áden", disse o comunicado, sem fornecer mais detalhes.

Uma fonte da área de segurança disse que o ataque teve como alvo um complexo escolar onde recrutas dos Comitês Populares, forças aliadas ao presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi, estavam reunidos para um café da manhã.

Militantes islâmicos, incluindo o Estado Islâmico, tem explorado uma guerra civil de 18 meses entre o movimento Houthi e os apoiadores de Hadi para atacar autoridades políticas e religiosas, além das forças de segurança e instalações de uma coalizão militar liderada pela Arábia Saudita que apoia o presidente.

(Reportagem de Mohammed Mukhashaf)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos