China expressa confiança em estabilidade no Brasil após impeachment de Dilma

PEQUIM (Reuters) - A China expressou confiança nesta quinta-feira na capacidade do Brasil em manter a estabilidade após o Senado aprovar o impeachment de Dilma Rousseff.

A cassação de Dilma provocou condenação por parte de governos de esquerda da América Latina, e países como Bolívia, Equador e Venezuela chamaram de volta seus embaixadores em protesto ao que definiram como "golpe". [nL1N1BC2QH]

A decisão do Senado encerrou 13 anos de governos do PT e entregou o poder a Michel Temer, que embarcou para a China logo após a cerimônia de posse como presidente da República para participar de uma reunião de cúpula do G20.

"É claro que estamos prestando atenção à situação interna no Brasil, incluindo os desenvolvimentos recentes", disse a porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês, Hua Chunying, durante entrevista coletiva diária.

"Esperamos e acreditamos que o Brasil pode continuar a manter estabilidade nacional e desenvolvimento sócio-econômico e continuar a desenvolver um papel importante em assuntos internacionais e regionais", acrescentou a porta-voz, quando perguntada sobre o impeachment de Dilma.

Brasil e China são parceiros estratégicos e as relações aumentaram rapidamente nos anos recentes, acrescentou Hua.

Os dois países também integram o Brics, grupo de economias emergentes que também inclui Índia, Rússia e África do Sul.

(Reportagem de Ben Blanchard)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos