Mais de 1.000 pessoas são presas em conflitos após eleição no Gabão

LIBREVILLE (Reuters) - Três pessoas morreram e até 1.100 foram presas no Gabão, nesta quinta-feira, informou o governo, no segundo dia de tumultos após o anúncio da reeleição do presidente Ali Bongo e acusação de seu principal rival de que a eleição foi fraudada.

O opositor Jean Ping acusou a comissão eleitoral de inflar a votação de Bongo para lhe dar uma vitória magra e estender por mais sete anos o domínio de quase meio século de sua família no país da África central produtor de petróleo.

Ping fez um apelo para Bongo renunciar.

Protestos violentos se alastraram para pelo menos nove bairros da capital Libreville, disseram duas testemunhas e uma fonte da polícia nesta quinta-feira, um dia depois de os manifestantes atearem fogo ao edifício do Parlamento na sequência do anúncio dos resultados.

"Queremos que todos vejam, que visitem a cidade, para testemunhar o nível de devastação, destruição, violência organizada por certos políticos que não querem reconhecer sua derrota", disse o ministro do Interior, Pacome Moubelet Boubeya.

(Por Gerauds Wilfried Obangome)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos