Papa exorta cristãos a salvarem o planeta da degradação ambiental

Por Crispian Balmer

ROMA (Reuters) - O papa Francisco pediu nesta quinta-feira uma ação coordenada contra a degradação ambiental e a mudança climática, renovando uma crítica contundente ao consumismo e à ganância financeira que, disse ele, estão ameaçando o planeta.

Um ano depois de publicar o primeiro documento papal dedicado ao meio ambiente, o papa exortou os cristãos a fazerem da defesa da natureza uma parte central de sua fé, acrescentando-a às sete "obras de misericórdia" que devem praticar.

"Deus nos deu um jardim abundante, mas nós o transformamos em uma terra devastada e poluída de destroços, desolação e sujeira", afirmou Francisco em um documento divulgado para coincidir com o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação.

Nascido na Argentina, Francisco é o primeiro pontífice de uma nação em desenvolvimento, e colocou a causa ambiental no cerne de seu papado, denunciando o que vê como uma cultura consumista de desperdício e economias desenfreadas à mercê do mercado.

"Economia e política, sociedade e cultura não podem ser dominadas pelo pensamento único no curto prazo e nos ganhos financeiros e eleitorais imediatos", disse o líder católico, sugerindo que ações mais ambiciosas podem ser necessárias para

Em dezembro, líderes mundiais reunidos em Paris se comprometeram a limitar as emissões de gases de efeito estufa na tentativa de estabilizar o aumento das temperaturas, e em julho a Organização Meteorológica Mundial (OMM) afirmou que a Terra está se aquecendo mais rápido do que o esperado e que caminha para ter o ano mais quente da história.

Francisco saudou o acordo climático de Paris, mas incentivou os eleitores de toda parte a fazerem com que seus governos não recuem.

"Cabe aos cidadãos insistir para que isso aconteça, e realmente postular metas ainda mais ambiciosas".

Ele pediu que os mais de um bilhão de católicos do mundo adotem uma pauta ecológica, dizendo que a defesa do meio ambiente deveria ser acrescentada às obras de misericórdia, que proporcionam aos crentes diretrizes e tarefas que se esperam que sigam.

Entre elas estão cuidar dos famintos e doentes e ensinar os ignorantes. Seis foram descritas no Novo Testamento, e a sétima, enterrar os mortos, foi acrescentada na Idade Média.

"Que as obras de misericórdia também incluam o cuidado com nosso lar comum", disse Francisco, acrescentando que gestos diários simples que rompem "a lógica da violência, da exploração e do egoísmo" fariam diferença.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos