Brasil possui US$269 bi em oportunidades de investimento em infraestrutura em 4 anos, diz Meirelles

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil possui oportunidades em projetos de infraestrutura de 269 bilhões de dólares em quatro anos, afirmou nesta sexta-feira o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, apontando que a cifra representa um mapeamento, e não um compromisso do que o governo efetivamente fará.

Segundo Meirelles, o montante inclui possibilidades de concessões, outorgas e privatizações, sendo que alguns projetos "já podem ter sido discutidos".

"Isso será detalhado pelo (secretário do Programa de Parcerias de Investimentos) Moreira Franco durante o mês de setembro, não necessariamente nesse número. Mas ele irá detalhar o programa, ou pelo menos a primeira parte do programa", acrescentou Meirelles na China.

Em conversa com jornalistas, o ministro também afirmou ter enxergado um interesse renovado pelo Brasil a partir de manifestações tanto de empresários quanto do governo chinês.

"Devido à recessão da economia brasileira nos últimos dois anos e às incertezas políticas e de outra ordem, existia um certo freio, um movimento um pouco mais vagaroso em relação a esses investimentos, principalmente na área de infraestrutura", disse Meirelles em coletiva com jornalistas em Xangai, onde acompanhou o presidente Michel Temer.

Meirelles avaliou que o país não mais enfrenta no horizonte a possibilidade de crise cambial.

"Hoje somos credores do FMI porque a parte externa foi resolvida pela acumulação de reservas que fizemos. A parte cambial hoje é passado", disse.

Ele ressaltou, por outro lado, que o país deve endereçar a questão fiscal, destacando a importância da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita o avanço dos gastos públicos pela inflação do ano anterior. Segundo Meirelles, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse acreditar em uma aprovação pela Casa ainda este ano caso a PEC tenha recebido aval da Câmara até o início de novembro.

Atualmente, a PEC está em análise em comissão especial na Câmara dos Deputados. Ela precisa ser aprovada em dois turnos na Câmara para depois ser apreciada no Senado.

(Por Marcela Ayres)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos