Maduro é vaiado e dúzias de pessoas são detidas

Por Andrew Cawthorne

CARACAS (Reuters) - Autoridades venezuelanas prenderam mais de 30 pessoas na ilha de Margarita, por abusos verbais contra o presidente Nicolás Maduro, disseram ativistas, neste sábado.

Vídeos publicados por ativistas, alegadamente em Margarita, localidade de Villa Rosa, na noite de sexta-feira, mostram várias pessoas batendo panelas e xingando o presidente venezuelano durante uma visita para inspecionar um projeto de habitação.

A demonstração de raiva vem depois de uma grande marcha em Caracas, na quinta-feira, que, segundo líderes da oposição, encorajou os inimigos de Maduro.

Depois que o presidente deixou Villa Rosa, área que no passado foi um forte reduto pró-governo, agentes de inteligência agiram, disseram membros da oposição e ativistas.

"Neste momento, mais de 30 pessoas foram detidas, depois do incidente em Villa Rosa", disse Alfredo Romero, do grupo ativista Fórum Penal, no Twitter.

O governo não mencionou o incidente e o Ministério da Informação não respondeu imediatamente pedido de comentários.

Desde que venceu por uma pequena margem a eleição para substituir Hugo Chávez, em 2013, a popularidade de Maduro despencou devido à crise econômica no país. A oposição afirma que o protesto desta semana reuniu mais de 1 milhão de pessoas no que parece ter sido a maior manifestação em mais de uma década contra o governo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos