Camisa de jogador de futebol americano se torna mais vendida após protesto durante hino nacional

Por Amy Tennery

NOVA YORK (Reuters) - As camisas do jogador Kaepernick foram as mais vendidas nesta terça-feira no site oficial da NFL, liga norte-americana de futebol americano, após ele protestar contra injustiças raciais e brutalidade policial nos Estados Unidos.

Kaepernick, quarterback do San Francisco 49ers, se negou a ficar em pé durante o hino nacional antes de jogo da pré-temporada em 26 de agosto e em um jogo na semana passada, gerando irritação e apoio de jogadores da NFL e fãs pelo país.

Em uma lista de todas as camisas disponíveis na NFLShop.com, a de Kaepernick era a primeira na área de "Mais Vendidas", superando as de jogadores novatos de alto perfil, como Carson Wentz, do Philadelphia Eagles, e Ezekiel Elliott, do Dallas Cowboys.

As vendas de camisas de Kaepernick aumentaram desde que ele iniciou seu protesto, de acordo com um relato da ESPN no fim de semana, que citava "uma fonte com conhecimento de números de vendas".

Kaepernick é o quarterback número dois dos 49ers, atrás de Blaine Gabbert, que foi selecionado para o elenco inicial na partida contra o Los Angeles Rams na quarta-feira.

Desde o início da manifestação, muitos torcedores disseram nas redes sociais que queriam comprar a camisa como sinal de solidariedade.

"Nunca assisti uma partida de futebol americano, mas acabei de comprar a camisa de Colin Kaepernick e irei usar com orgulho", disse na sexta-feira um usuário chamado Sean no Twiter.

"Preciso de uma camisa de Colin Kaepernick o mais rápido possível", tuitou Oliver Ellison na terça-feira. "(Ela) é icônica agora".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos