Tribunal alemão decide que operadora de rádio de Auschwitz, de 92 anos, é inapta para julgamento

BERLIM (Reuters) - Uma mulher de 92 anos, que trabalhou como operadora de rádio em Auschwitz, foi considerada inapta para ir a julgamento sob acusações de que ela colaborou para assassinar 260 mil pessoas no campo de extermínio nazista.

O tribunal em Kiel disse nesta sexta-feira que a mulher, identificada somente como Helma M. estava quase cega e surda, e que as graves doenças que sofreu este ano a deixaram física, mental e emocionalmente incapaz de ser julgada.

Uma porta-voz do tribunal disse em comunicado que os juízes consideraram que ela "não cumpre com as condições básicas para participar de um longo julgamento".

(Por Joseph Nasr)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos