Obama faz campanha por Hillary e diz que Trump não se preocupa com classe trabalhadora

Por Ayesha Rascoe e James Oliphant

FILADÉLFIA/DES MOINES, EUA (Reuters) - Com Hillary Clinton afastada devido a uma pneumonia, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assumiu a luta dos democratas contra Donald Trump nesta terça-feira, tentando anular o esforço do candidato republicano à Casa Branca de atrair eleitores da classe trabalhadora.

Obama, cujo governo tem índice de 50 por cento de aprovação, o que poderia ajudar a melhorar a situação para a chapa democrata nas eleições de 8 de novembro, reuniu seguidores do partido contrários a Trump, empresário de Nova York do setor imobiliário de 70 anos, num evento ao ar livre na Filadélfia.

"Este é um cara que passou 70 anos neste planeta não mostrando nenhuma preocupação com os trabalhadores. Ele passou a maior parte da sua vida tentando ficar bem longe dos trabalhadores. Ele não deixaria vocês entrarem no campo de golfe dele”, declarou Obama.

A aparição de Obama na campanha foi a sua primeira sozinho a favor de Hillary, num momento em que ele tenta assegurar que os democratas mantenham o controle da Casa Branca quando o seu período de oito anos terminar em janeiro.

O presidente criticou Trump por fazer comentários polêmicos diários e disse que as controvérsias relacionadas a Hillary não se comparavam.

"Não podemos nos dar ao luxo de subitamente tratar isso como um reality show. Não podemos agir como se houvesse alguma equivalência aqui”, declarou Obama.

Hillary, ex-secretária de Estado de Obama, descansava em casa, em Chappaqua, em Nova York, por conta de uma pneumonia, doença diagnosticada na sexta-feira, mas a qual ela manteve em segredo até quase cair em Nova York no domingo durante cerimônia que marcava os ataques de 11 de Setembro.

Num comício em Des Moines, Trump evitou mencionar a doença da rival, mas intensificou esforços para tirar vantagem máxima do polêmico comentário de Hillary de que os simpatizantes do republicano eram “deploráveis”.

"Enquanto a minha adversária classifica vocês como deploráveis e irredimíveis, eu chamo vocês de patriotas trabalhadores norte-americanos que amam o seu país e querem um futuro melhor para todos do seu povo”, afirmou Trump, que tentou retratar a ex-primeira-dama como distante do norte-americano comum.

Hillary afirmou num discurso na semana passada que metade dos apoiadores de Trump pertencia “a uma cesta de deploráveis” e os acusou de serem racistas e homofóbicos. Mais tarde, ela disse que se arrependia do comentário.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos