Governo federal reduz preço de venda da Celg-D em R$1 bi

SÃO PAULO (Reuters) - O governo federal definiu um novo valor mínimo para a venda da distribuidora de energia Celg-D, controlada pela Eletrobras em 1,792 bilhão de reais, ante 2,8 bilhões estabelecidos anteriormente como preço mínimo.

A falta de interessados na distribuidora levou a um cancelamento do leilão de privatização agendado para agosto.

O valor de mercado da Celg-D ficou em 4,448 bilhões de reais, incluindo dívidas que um eventual comprador terá que assumir, segundo comunicado da Eletrobras e resolução publicada no Diário Oficial da União nesta quarta-feira.

Anteriormente, o valor total da companhia, incluindo a dívida, havia sido estimado em 5,2 bilhões de reais.

A Celg-D é controlada pela Eletrobras, que detém 50,93 por cento do seu capital social, e pelo governo de Goiás, que possui, via CelgPar, 49 por cento do capital da empresa.

A decisão de revisão dos valores foi tomada pelo Conselho do Programa de Parcerias de Investimento da Presidência da República (PPI).

Não ficou definida claramente uma data para a realização do leilão de privatização, previsto para ocorrer na BM&FBovespa.

A Eletrobras destacou que a venda das ações da Celg-D depende de aprovação pelos órgãos de controle e pelos órgãos decisórios da Eletrobras, incluindo sua Assembleia Geral de Acionistas.

(Por Gustavo Bonato)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos