Dólar cai e fecha em R$3,3017 com melhora no cenário externo

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar caiu mais de 1 por cento nesta quinta-feira, ajudado por dados mais fracos sobre a economia dos Estados Unidos, que reduziram as apostas de aperto monetário na próxima semana na maior economia do mundo.

O dólar recuou 1,24 por cento, a 3,3017 reais na venda, depois de subir 2,89 por cento nos dois pregões anteriores. Na mínima do dia, o dólar marcou 3,2960 reais e, na máxima, 3,3681 reais.

O dólar futuro cedia cerca de 1,20 por cento no fim da tarde.

Na primeira etapa de negociações, a moeda marcou um vaivém, ora operando em baixa, ora em alta, firmando-se em queda apenas à tarde. Segundo operadores, houve um forte fluxo de saída que pressionou as cotações mais cedo e adiou a reação aos dados dos EUA.

"O mercado está de olho no exterior, mas os investidores aproveitam os momentos. Hoje, por exemplo, houve uma janela de oportunidade", comentou o operador da corretora Spinelli José Carlos Amado.

Zerado o fluxo de saída, o mercado ficou livre para digerir os dados e o noticiário.

"A trégua no exterior depois dos dados norte-americanos deu a deixa para uma realização de lucros aqui no Brasil", afirmou o operador de uma corretora nacional.

O mercado trabalha em compasso de espera pelo encontro de política monetária do Federal Reserve, na quarta-feira que vem, mesmo dia em que o Banco do Japão também anuncia sua decisão e pode fazer mudanças em sua política de estímulos.

Segundo dados do FedWatch, da CME Group, operadores viam apenas 12 por cento de chance de o Fed subir juros na próxima semana, abaixo dos 15 por cento vistos na quarta-feira.

Pesquisa Reuters feita com economistas na semana passada apurou que cresceram para 70 por cento as chances de um aumento do juro nos EUA em dezembro. No levantamento anterior, a chance era de 57,5 por cento.

A produção industrial dos EUA caiu 0,4 por cento em agosto ante julho, pior que a projeção em pesquisa Reuters, de recuo de 0,3 por cento. As vendas no varejo nos EUA também caíram mais do que o esperado no mês passado, 0,3 por cento, ante previsão de recuo de 0,1 por cento e após alta de 0,1 por cento em julho.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego subiram em 1 mil, para 260 mil em dados ajustados sazonalmente na semana encerrada em 10 de setembro, informou o Departamento do Trabalho. Economistas consultados pela Reuters projetavam que os pedidos chegassem a 265 mil.

O Banco Central vendeu nesta manhã todo o lote de 5 mil contratos de swap cambial reverso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos