Temer veta reajuste de 60% a defensores públicos da União

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Michel Temer vetou nesta quinta-feira trecho do projeto de lei que dava reajuste de 60 por cento nos salários dos defensores públicos da União, informou o Palácio do Planalto.

"Somente foi aprovado o pagamento de 7 por cento, que será pago em parcela única a partir da data da publicação no Diário Oficial da União", afirma nota divulgada pela Presidência.

A decisão de Temer vem em um momento em que o Senado discute o reajuste dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que teria reflexos em cascata no funcionalismo público nas três esferas de governo, já que o salário dos magistrados do Supremo representa o teto salarial dos servidores.

Em entrevista ao jornal O Globo no fim de semana, Temer se manifestou contrário ao reajuste dos ministros do STF por entender que o aumento geraria uma "cascata gravíssima".

O governo tem defendido que o Congresso aprove uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que limita o aumento dos gastos públicos à inflação do ano anterior como forma de controlar o rombo nas contas públicas. A meta de resultado fiscal para este ano é de um déficit de 170,5 bilhões de reais.

(Reportagem de Eduardo Simões)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos