Tribunal sueco mantém pedido de prisão contra Assange

ESTOCOLMO (Reuters) - Um tribunal de apelações sueco decidiu nesta sexta-feira manter um pedido de prisão contra o fundador do Wikileaks, Julian Assange, que está refugiado na embaixada do Equador em Londres.

Assange, de 45 anos, é investigado pelas autoridades suecas por acusações de que teria cometido estupro em 2010. Ele nega as acusações.

"O Tribunal de Apelações compartilha a determinação da Corte Distrital de que Julian Assange ainda é suspeito de causa provável de estupro", informou o tribunal.

Assange evitou possível extradição à Suécia ao se refugiar em 2012 na embaixada do Equador em Londres. Ele diz temer extradição para os Estados Unidos, onde existe uma investigação criminal sobre o Wikileaks.

O advogado sueco que representa Assange, Per Samuelson, disse que ainda não conversou com seu cliente.

"Assumo que iremos entrar com um recurso, seria estranho caso contrário", disse.

O Equador marcou a data de 17 de outubro para interrogatório de Assange em sua embaixada em Londres.

(Reportagem de Daniel Dickson, Johan Ahlander e Johan Sennero)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos