Polícia prende suspeito por ataque a bomba em Nova York após troca de tiros

Por Joseph Ax e Mica Rosenberg

ELIZABETH, Nova Jersey, EUA (Reuters) - A polícia prendeu um cidadão norte-americano nascido no Afeganistão suspeito de realizar o ataque a bomba do fim de semana na cidade de Nova York que deixou 29 pessoas feridas e de plantar outros artefatos em Nova York e em Nova Jersey, após uma troca de tiros nesta segunda-feira de manhã entre policiais e o suspeito.

Dois agentes das forças de segurança ficaram feridos no tiroteio, assim como Ahmad Khan Rahami, cidadão norte-americano naturalizado de 28 anos que mora em Elizabeth, no Estado de Nova Jersey. O suspeito foi levado de ambulância para um hospital local após sua captura em Linden, também em Nova Jersey, a cerca de 30 quilômetros de Nova York.

Os ataques ocorreram num momento em que líderes mundiais se reúnem em Nova York para a Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta semana, e poucos dias após os 15 anos dos ataques de 11 de Setembro.

Não havia evidências de imediato sobre a motivação para os ataques, e também não há indicação de que uma célula extremista esteja operando na região, de acordo com William Sweeney, agente do FBI que concedeu uma entrevista coletiva em Nova York sobre o incidente.

"Não há outro indivíduo que nós estejamos procurando neste momento", disse o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, na mesma entrevista coletiva, em que pediu aos moradores de Nova York que permaneçam vigilantes após os incidentes do fim de semana.

Sweeney afirmou que cinco suspeitos detidos na noite de domingo no Brooklyn depois de serem vistos em um carro em um local relacionado com Rahami foram soltos sem receber qualquer acusação.

Os Estados Unidos têm vivenciado ataques de grande escala, incluindo massacres a tiros em Orlando, na Flórida, e em San Bernardino, na Califórnia, ao longo do último ano.

"Ontem não havia qualquer indicação de ligação com terrorismo internacional... Mas pode muito bem vir a ter ligação com organizações terroristas internacionais, e vamos descobrir isso hoje ou nos próximos dias", disse o governador de Nova York, Andrew Cuomo, a repórteres nesta segunda-feira.

TROCAS DE TIROS EM NOVA JERSEY

A polícia de Linden recebeu um chamado sobre um homem que estava dormindo em uma portaria, e quando um agente, que reconheceu a pessoa como o suspeito das bombas, tentou agarrá-lo, Rahami abriu fogo e atingiu o agente no abdome. O policial estava usando um colete a prova de balas, de acordo com o capitão de polícia de Linden, James Sarnicki.

Rahami também disparou através do para-brisa de um carro de polícia, ferindo outro policial. Nenhum dos dois sofreu ferimentos com risco de morte, afirmou.

Mais cedo nesta segunda-feira, a polícia de Nova York havia divulgado uma foto de Rahami e dito que buscava interrogá-lo sobre a explosão de sábado à noite no bairro de Chelsea, em Manhattan, assim como por uma explosão anterior no mesmo dia no Seaside Park, em Nova Jersey.

Além desses dois incidentes, a polícia investiga uma mochila com bombas que foi encontrada em uma estação de trem de Nova Jersey no domingo, e uma bomba montada em uma panela de pressão não detonada achada a poucos quarteirões do ponto da explosão em Chelsea.

Não houve feridos nas outras explosões.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que não havia ligação entre as explosões e um incidente separado no fim de semana em um que um homem esfaqueou nove pessoas em um shopping no centro de Minnesota antes de ser morto a tiros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos