Rússia diz que comboio de ajuda humanitária para Síria pegou fogo e não foi alvo de ataque

MOSCOU (Reuters) - O Ministério da Defesa da Rússia rejeitou nesta terça-feira as alegações de que um comboio de ajuda humanitária que se encontrava próximo da cidade síria de Aleppo foi bombardeado pela terra ou pelo ar no dia anterior, dizendo que na verdade os caminhões pegaram fogo.

A Organização das Nações Unidas (ONU) suspendeu todas as remessas aéreas de ajuda para a Síria nesta terça-feira depois do que diz ter sido um ataque letal ao comboio que levava suprimentos humanitários, e no momento em que um cessar-fogo de uma semana mediado por Estados Unidos e Rússia desmoronou em meio à retomada da violência.

A Rússia contestou essa versão dos acontecimentos.

"Estudamos em detalhe imagens de vídeo do local feitas por assim chamados 'ativistas' e não encontramos nenhum indício de que o comboio foi atingido por artilharia", disse Igor Konashenkov, porta-voz do ministério, em um comunicado.

"Não há crateras, e o exterior dos veículos não tem o tipo de dano consistente com explosões causadas por bombas lançadas do ar", acrescentou.

Konashenkov afirmou que o estrago no comboio visível nas imagens é na verdade o resultado direto de um incêndio em seu carregamento, o que ele disse ter ocorrido, "estranhamente", no mesmo momento em que militantes iniciavam uma grande operação na vizinha Aleppo.

A Rússia havia parado de monitorar o comboio após a entrega, depois do que Konashenkov disse que seu paradeiro só foi do conhecimento dos militantes no local.

Na mesma noite, o porta-voz disse que o grupo militante conhecido anteriormente como Frente Al-Nusra iniciou uma grande ofensiva apoiada por tanques, artilharia e outros equipamentos pesados.

Ele disse que só o grupo de defesa e resgate civil 'Capacetes Brancos' poderia dizer quem foi responsável pelo que aconteceu ao comboio.

"Só representantes da organização 'Capacetes Brancos' próximos da Frente Al-Nusra que, como sempre, se encontravam na hora certa e no lugar certo por acaso com suas câmeras podem dizer quem fez isso e por que", afirmou Konashenkov.

(Por Andrew Osborn)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos