Bombardeiros dos EUA sobrevoam Coreia do Sul pela 2ª vez desde teste nuclear do Norte

OSAN, Coreia do Sul (Reuters) - Dois bombardeiros supersônicos dos Estados Unidos sobrevoaram a Coreia do Sul nesta quarta-feira, e um deles pousou em uma base aérea 40 quilômetros ao sul da capital, no segundo sobrevoo do tipo desde o teste nuclear realizado pela Coreia do Norte em 9 de setembro.

O comando militar dos EUA na Coreia do Sul disse que o voo dos dois bombardeiros estratégicos B-1B Lancer baseados em Guam foi uma demonstração de força e do comprometimento norte-americano com a preservação da segurança da península e da região.

Os EUA, que têm cerca de 28.500 soldados na Coreia do Sul, usaram dois bombardeiros B-1 escoltados por caças norte-americanos e sul-coreanos no dia 13 de setembro para expressar sua solidariedade a Seul.

O Norte criticou o sobrevoo anterior, que classificou como uma provocação armada que mobilizou "ferramentas nucleares de morte de má fama". O país recluso não reagiu de imediato ao voo desta quarta-feira.

A Força Aérea dos EUA disse que a missão de quarta-feira foi o sobrevoo mais próximo de um bombardeiro B-1 da Coreia do Norte.

"O dia de hoje marca a primeira vez em 20 anos que a estrutura aérea pousou na península coreana, além de conduzir o voo mais próximo de todos os tempos da Coreia do Norte", informou a Força Aérea dos EUA em seu site, que também mostrou um bombardeiro B-1B pousando na base sul-coreana.

A agência de notícias sul-coreana Yonhap disse que a aeronave voou sobre um local de treinamento de disparos dos EUA na área de Pocheon, que faz fronteira com o Norte.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos