Autoridade do México vai iniciar investigação de evasão fiscal após "Bahamas Leaks"

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Os assuntos financeiros de centenas de mexicanos mencionados em uma leva de documentos chamados de "Bahamas Leaks" serão examinados em busca de indícios de evasão fiscal, disse a Autoridade Fiscal do México (SAT, na sigla em espanhol) na quarta-feira.

Mais de 400 mexicanos, incluindo advogados, ex-autoridades e proprietários de empresas offshore nas Bahamas, foram mencionados em vazamentos publicados pelo jornal alemão Süddeutsche Zeitung, pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, na sigla em inglês) e outros veículos de mídia em uma base de dados na quarta-feira.

"Com respeito ao uso de estruturas ou empresas incorporadas em outros países que são assim chamados paraísos fiscais, a SAT irá analisar, nos casos em que for apropriado, os contribuintes mencionados", disse a entidade em um comunicado.

A SAT ainda informou que pode recorrer a acordos de compartilhamento de dados com outras nações para obter mais informações.

Os arquivos vazados, que se basearam em dados de um registro corporativo nas Bahamas, revelam os nomes de políticos e outras pessoas ligadas a mais de 175 mil companhias offshore, trustes e fundações.  

Em abril, autoridades do México disseram que 33 pessoas estavam sendo investigadas por possível evasão fiscal ou crimes financeiros após o vazamento dos documentos conhecidos como "Panama Papers".

(Por Miguel Angel Gutierrez)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos