Clérigo que vive nos EUA exorta Europa a impedir catástrofe na Turquia

ROMA (Reuters) - O clérigo turco que mora nos Estados Unidos e que foi acusado de traição pelo presidente da Turquia disse que Tayyip Erdogan está usando um golpe de Estado fracassado para se promover como um herói nacional, e exortou a Europa a intervir para evitar uma "catástrofe" em meio aos expurgos que vêm atingindo desde o Exército até o Judiciário.

Fethullah Gulen, que nega ter apoiado a tentativa de golpe de julho, insinuou em uma entrevista ao jornal italiano La Stampa que os líderes europeus fizeram muito pouco ao criticar Erdogan pelas prisões de dezenas de milhares de pessoas, de militares a jornalistas e de membros do Judiciário a artistas, e pela suspensão de cerca de 100 mil funcionários.

"A pressão interna dos refugiados, a proliferação de grupos radicais, a perseguição de dezenas de milhares de civis, a autoproclamação impulsiva de Erdogan como herói nacional... deveriam compelir os líderes europeus a adotar ações eficazes para impedir... a guinada do governo rumo ao autoritarismo", disse Gulen, sem explicar que tipo de ação deveria ser tomada.

Erdogan é de longe o político mais popular da Turquia há tempos --uma popularidade da qual ele vem abusando para ampliar seus poderes e reprimir a dissidência, segundo seus críticos, e que cresceu ainda mais após o golpe frustrado.

(Por Isla Binnie)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos