Impasse político da Espanha tem ponto crítico enquanto socialistas decidem seu futuro

MADRI (Reuters) - Os divididos socialistas da Espanha se encontram neste sábado para decidir se irão retirar o líder do partido Pedro Sanchez, em um passo que poderia abrir caminho para um novo governo ser formado, após meses de encruzilhada política.

A liderança do partido socialista PSOE, principal partido da oposição espanhola, foi dividida após a renúncia, no início dessa semana, de 17 dos 38 membros de seu Comitê Executivo, que pedem a saída de Sanchez para ajudar a quebrar o impasse que já dura nove meses.

Sanchez tem liderado uma disputa com o primeiro-ministro em exercício Mariano Rajoy, do conservador Partido Popular (PP), que venceu a maioria dos votos, mas não conseguiu alcançar uma maioria em duas eleições inconclusas, frustrando as tentativas de formar um governo.

Se nenhum governo for estabelecido antes do final de outubro, uma terceira eleição será convocada em dezembro.

Sanchez sugeriu na sexta-feira que ele poderia renunciar caso a assembleia do partido vote contra ele no sábado e decida se abster em um futuro voto de confiança para deixar Rajoy --seu adversário de longa data a quem ele acusa de corrupção-- no poder.

(Por Angus Berwick e Carlos Ruano; reportagem adicional de Rodrigo de Miguel))

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos