Dezenas morrem em tumulto na Etiópia após polícia dar tiros de advertência em protesto

ADDIS-ABEBA, Etiópia (Reuters) - Mais de 50 pessoas foram mortas durante um tumulto na região de Oromiya, na Etiópia, desencadeado neste domingo quando a polícia usou gás lacrimogêneo e atirou para o alto para dispersar um protesto contra o governo em um festival religioso.

Segundo a emissora estatal, que citou autoridades regionais, 52 pessoas foram mortas. A oposição também afirmou que ao menos 50 pessoas morreram no festival anual, no qual alguns participantes entoavam gritos contrários ao governo e empunhavam a bandeira de um grupo rebelde.

Nos últimos dois anos, Oromiya foi alvo de protestos esporádicos, provocados inicialmente por disputa de terras, mas que cada vez mais se tornaram manifestações contra o governo em geral. Desde o final de 2015, dezenas de manifestantes foram mortos em confrontos com a polícia.

Os acontecimentos sublinham as tensões no país, onde o governo tem conseguido obter altas taxas de crescimento econômico, mas enfrenta críticas de adversários e grupos de ativistas que o acusam de reduzir as liberdades políticas.

Milhares de pessoas se reuniram para o Irreecha, festival anual de ação de graças, na cidade de Bishoftu, cerca de 40 km ao sul da capital Addis Abeba.

Os manifestantes gritavam "mós precisamos de liberdade" e "precisamos de justiça", impedindo o discurso dos anciãos da comunidade, considerada próxima ao governo.

Ao serem atingidos pelo gás lacrimogêneo da polícia, que também atirou para o alto, os manifestantes fugiram criando um tumulto, sendo que alguns deles acabaram caindo em uma vala profunda.

(Por Aaron Maasho)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos